quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Nove meses da turma 2007.2


Como esquecer aquela tarde do dia 20 de fevereiro de 2008? Da ansiedade do primeiro dia de aula; a curiosidade em conhecer os novos colegas. Sem dúvidas aquela quarta-feira será inesquecível. E nove meses depois, continuo acreditando que ter entrado na turma 2007.2 de Comunicação Social-Jornalismo em Multimeios da Uneb, foi uma das coisas mais gratificantes da minha vida.

Nove meses é o período de uma gestação, e com a nossa turma não foi diferente: uns geraram amigos, outros nem tanto; alguns geraram polêmicas, no entanto, teve aqueles que preferiram ficar no seu canto; conseguimos criar trabalhos incríveis. Nossa turma consegue ter uma mescla entre aqueles que fazem espetáculo e os mais técnicos, talvez por isso, embora haja alguns desentendimentos, nos sentimos tão à vontade na sala de aula.

Sinceramente não sei como seria a minha vida se não tivesse vivido esses nove meses. Imagina só, viver sem nunca ter ouvindo as indagas de Jorge, o jeito carismático de Louise, toda a filosofia de Laércio, ver os olhos penetrantes de Natália, a graça de Gabriela, o encanto de Alinne, a cumplicidade de Daniel, os impulsos de Karem, o amor entre Isa e Felipe, os espetáculos de Tiago, a genialidade de Tito, o glamour de Luma, a sinceridade de Diego, o carinho de Emaísa, as viagens de Meg, as opiniões de Lindomar, a preocupação de Ana Paula, o blog de Dudu, o domínio de Íris, as aspas de Ednelma, o sorriso de Larissa, a presença de Ladjane, os desenhos de Yuri, os romances de Dalmir, o equilíbrio de Carlos e todos os outros, que sem os quais não conseguiria ser completo. Agradeço todos os dias por ter encontrado cada um de vocês e que saibamos viver para aproveitarmos essa, que sem dúvidas, será a melhor parte das nossas vidas.

2 comentários:

Alinne Suanne disse...

Emerson também concordo cm vc...e digo mais: foram as pessoas certas na hora certa!!

bjãoooo

Meg Macedo disse...

Lindo o texto fiquei emcionada com tanto carinho em apenas uma só pessoa. Vc não existe, é tão bom saber que existem pessoas boas assim como tu, Emerson. Uma ressalva o mais bonitinho de tudo é quando diz que leva contigo um pouco de cada pessoinhas da turma e não posso deixar de agradecer o seu carinho por mim.

Beijos aos montes!!!